fbpx

Como redes sociais podem agravar depressão em jovens

Um estudo foi realizado no Canadá, pelo Centro Hospitalar Universitário Saint-Justine, onde foi comparado o crescente número de casos de depressão em jovens que utilizavam bastante o entretenimento digital, como redes sociais e jogos online.

A amostra foi de 4 mil jovens entre diferentes plataformas de entretenimento por 4 anos, onde os cientistas puderam avaliar e comprovar que o uso de algumas plataformas poderia elevar os sintomas de depressão.

Uma das grandes causas constatadas foram problemas com o sono, que poderiam ser induzidos ou voluntários, onde os indivíduos abririam mão de dormir para estar utilizando essas plataformas ou apenas tendo insônia.

Sensações com se sentir inútil, estados de mau humor e ideias de cometer suicídio foram algumas das relacionados com problemas de sono em função do grande tempo em contato com plataformas de entretenimento como jogos online e redes sociais.

Segundo o estudo, a ligação dos usuários a essas formas de entretenimento não eram o foco específico do aumento de sintomas depressivos e sim a exposição do usuário a comparações nas redes sociais, deixando os mesmos inseguros, ao ponto de que jogos online por não terem condições semelhantes agravaram menos os sintomas.

pc-5640932 Como redes sociais podem agravar depressão em jovens

Ex aluno da Casa Kame, mestre de obras da reforma do QG dos Vingadores e nortenho porque me lembrei.

João Ferreira

Ex aluno da Casa Kame, mestre de obras da reforma do QG dos Vingadores e nortenho porque me lembrei.

2 comentários em “Como redes sociais podem agravar depressão em jovens

  • 14 de agosto de 2019 em 14:09
    Permalink

    De fato, a rede social pode nos fazer sentir menores do que somos, tendo em vista que em fotos e publicações as pessoas são as mais lindas, as perfeitas, as ricas. Mas é sempre bom lembrar que a mentira está aí. Quem é real enfrenta problemas, é trabalhador, insiste, e não desiste. Sejamos felizes com nossa vida imperfeita, porque ela e DE VERDADE.
    P.S.: João, eu te amo.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2019 em 13:06
    Permalink

    Em estudo do The Happines Research Institute uma semana longe do Facebook já deixa as pessoas com a sensação de felicidade maior e menos preocupações.
    http://www.happinessresearchinstitute.com
    “61% das pessoas publicam só as coisas boas que lhe acontecem –, as fotos retocadas, o enquadramento pensado e que parece casual… Projetam uma vida irreal que faz com que metade dos usuários tenha inveja das experiências que os demais compartilham em seus perfis”.
    Muitas vezes os mais influenciáveis e também os que tem uma maior tendência a depressão, (dados estes tirados do meu ovo) são justamente os jovens e eles também são os mais expostas as redes anti-sociais.
    O resultado é bem previsível…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *