fbpx

O Sorriso de Monalisa

Filme: O sorriso de Monalisa

Ano: 2003

Gênero: Drama Romântico

Katherine Watson é uma professora recém-formada da Universidade da Califórnia em Los Angeles, que foi contratada em 1953 para lecionar História da Arte na prestigiosa Wellsley College, uma escola só para mulheres. Determinada a confrontar valores ultrapassados da sociedade e da instituição, Katherine inspira suas alunas tradicionais, incluindo Betty e Joan,  a mudarem a vida das pessoas como futuras líderes que serão.

O que as alunas de amanhã verão ao nos analisarem?

Desestabilizar a visão do American way of life, cultura americana efervescente nos anos 1950, onde era somente possível alcançar a plena felicidade com uma boa casa, onde seu marido trabalha em um bom emprego, cerca-se de eletrodomésticos, e quanto mais seu marido trabalha, mais coisas terão para preencher uma casa “vazia”, movimentando assim a economia capitalista, e que danem-se os outros.

Katherine deixa claro ao perguntar: “Meninas é isso mesmo que querem?” ” Olhem além do quadro!” Uma mistura de heroína com Greta Garbo, o ” sorriso” que Katherine propõe as alunas é que sejamos um texto para interpretação, algo como que não se pode advertir, levando a regra de que não se pode dizer tudo o que se pensa exatamente, isso pode fazer cair um dia em armadilhas.

Seja, em tudo o que for possível, um mistério.

O fato é que a “receita” de uma vida feliz, mesmo naquela época, está na ideia de que se deve viver com base no que se acredita.

Katherine vai além de regras e destaca que você pode ser o que quiser mesmo que sua escolha seja viver americanamente e não esquecendo que o amor é um campo de batalhas.

Estudante de Tecnologia em Processos Químicos, Amante de Cultura Geek e Cinéfila de Carteirinha.

Maísa Costa

Estudante de Tecnologia em Processos Químicos, Amante de Cultura Geek e Cinéfila de Carteirinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *