fbpx

Qual a hora certa de ser feliz e viver?

 

A máxima de que a vida é feita de escolhas sem dúvidas tem fundamento, com base nisso, conseguir conviver com elas até o fim vai definir como vocêimage-300x239 Qual a hora certa de ser feliz e viver? vai olhar para o passado e não se arrepender da sua vida.

Pessoas que são facilmente sugestionáveis tendem a pautar suas escolhas com base nas projeções dos outros de forma a ser aceito, quisto, respeitado. Há quem não saiba demonstrar a importância que as pessoas que o rodeiam têm, e passam a vida sem obter o melhor das relações interpessoais, além de tentar agradar.

E sobre sentimentos, há também quem se afaste de pessoas queridas por anos em função do modo de vida que se leva, pensando que o momento para viver esses momentos vai acontecer se cobrando depois sobre o tempo perdido. Focados demais no trabalho, há outros que vão viver por anos preso em uma rotina que ao final pode não trazer as recompensas desejadas.

Assim, deixam de viver, quando o trabalho é para abrir mão da vida que se tem. Passando a vida toda guiado por más escolhas. Pergunto: Será se ao final você conseguiu a felicidade que desejava?

Pautar a sua história de vida com base em escolhas pessoais e não para agradar os outros deveria ser uma regra primordial. Será que você vai passar anos estudando, escolherá uma carreira e sem perceber estará vivendo com uma determinada pessoa como companheiro (a) seguindo uma espécie de script?

Os rumos da sua vida não podem ser feitos de forma a agradar apenas seus pais ou a sociedade. Escolher uma carreira até pode seguir esse parâmetro, quando sua família tem posses, um nome e um negócio já modelados em uma área determinada. Isso pode facilitar a sua vida de diversas formas e desde que isso seja sinônimo de felicidade.

Seguir a carreira dos pais por admiração, tocar uma empresa de família e levar o legado de uma vida de seus antecessores é uma responsabilidade, mas que seja sempre com a finalidade de completar o indivíduo e não como uma obrigação irrefutável.

No âmbito dos relacionamentos, algo tão pessoal, tendemos a procurar pessoas com histórias de vida semelhantes as nossas, sem escutar os sentimentos e sempre de forma a agradar. Um relacionamento escolhido com base em condições extra a seus reais sentimentos podem trazer consequências devastadoras. Fazer escolhas sem seguir suas vontades pode ser frustrante, pois no fim da sua vida não são os outros que morrem, é você, e a pior sensação no fim é a de pensar: que eu perdi tempo fazendo o que eles queriam e não fui feliz.

image-300x239 Qual a hora certa de ser feliz e viver?

Às vezes outra forma de não ser feliz é não demonstrar afeto, esconder sentimentos e não ser amoroso quando quer ser. Ter vergonha de demonstrar seu amor pelas pessoas é uma forma de não viver. Achar que as pessoas vão ficar convencidas, irão te entender mal e pensar que estará se fragilizando em dizer o que sente é um erro. Melhor deixar que os seus sentimentos sejam transparentes e esperar o melhor do outro sem dúvidas no final trará mais alegria que não dizer o que sente.

Mas a vida não é feita só de coisas boas, então não só demonstrar afeto, alegria e amor, demonstre seu limite, demonstre raiva. Raiva serve para você por limites e nos relacionamentos tanto vale falar as coisas boas como as ruins. Muitas vezes dizer que algo lhe magoa agora, pode melhorar o seu relacionamento mais que dizer o quanto essas pessoas faz falta, é bem vinda e querida.

Dizer não nas horas certas e deixar claro que algo não está confortável pode ser a melhor saída para você não colocar os limites, não sofrer e não se corroer.

Gostar de ficar mais com os amigos vai fazer você mais feliz. Afinal família disfuncional, em maior ou menor grau, todo mundo tem e suas escolhas de amizade são mais compatíveis com sua história e com seus sentimentos. Valorizar as amizades vai fazer o seu dia a dia mais tranquilo, pois há certos assuntos que você se sentirá mais à vontade de pedir uma opinião a um amigo que seu pai por exemplo. Ter amigos próximos deixa a sua vida mais completa. Projetos, viagens e coisas em comum tornam os momentos de lazer, que são fugas da rotina, mas leves e quando não valoriza isso você não vive.

Quando passa o tempo e o valor que você deu aos seus amigos só é medido no final, fica difícil dar conta de ver seus amigos te vendo com um olhar de pena por não terem sido próximos antes e ver a amizade se resumir a uma visita no hospital quando um ou outro estiverem doentes.

Mesmo com uma carreira brilhante, não trabalhar tanto também traz felicidade. Algumas pessoas focam tanto em uma carreira e seguem o rito image-300x239 Qual a hora certa de ser feliz e viver?da rotina e perdem os outros bons momentos porque estão cansadas demais. Mas há as pessoas que tem a ilusão de que se desliga a vida enquanto você trabalha e você só volta a viver depois do expediente, no fim de semana, nas férias e na aposentadoria. A vida não para. A vida não desliga. Sua vida é agora, achar que o seu trabalho não é viver é errado.

Você não pode passar a vida inteira pensando no próximo feriado assim como também não pode passar o tempo todo pensando na promoção. Tem que haver equilíbrio, porque você está o tempo inteiro vivendo, e focar demais e perder o convívio com família e amigos, assim como focar de menos e perder oportunidades, pode gerar o sentimento de que se quer uma vida nova para recomeçar. Mas a sua vida nunca foi embora, é essa que você tem agora e é seu dever valorizar e saber dosar os momentos.

Pensar em arrependimentos no final da vida e no que poderia ter feito para ser mais feliz é meio que um resumo de tudo comentado antes. Quando deixo de me cobrar tanto no trabalho e saio mais cedo para ver o futebol ou o ballet de um (a) filho (a), estou vivendo e sendo feliz. Quando compro um presente vindo de uma viagem de negócios e presenteio o (a) companheiro (a), estou vivendo e sendo feliz. Quando eu deixo de ir para casa apenas para ver um programa de televisão e marco com um amigo para ver um futebol em um bar, estou vivendo e sendo feliz. Quando eu abandono um curso de Arquitetura para fazer outro de Artes Plásticas, estou vivendo e sendo feliz. São escolhas diárias, que vão modelando os anos e lá no final você para e olha e se pergunta: minha vida valeu a pena?

A resposta tem que ser positiva e vale ver com otimismo, sem se culpar, afinal você não tinha as experiências que tens hoje com quinze anos.

 

Ex aluno da Casa Kame, mestre de obras da reforma do QG dos Vingadores e nortenho porque me lembrei.

João Ferreira

Ex aluno da Casa Kame, mestre de obras da reforma do QG dos Vingadores e nortenho porque me lembrei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *