fbpx

Análise do filme “Beleza Oculta”

Howard (Will Smith) é um publicitário de sucesso, que vê seu mundo desabar depois que a perde a filha, de apenas seis anos. Compreensivos, seus sócios (e amigos) na agência (interpretados por Edward NortonKate Winslet e Michael Peña) procuram uma maneira de ajudá-lo, ao mesmo 17025292-300x200 Análise do filme "Beleza Oculta"tempo em que se encontram em uma situação profissional periclitante. (E, diga-se, cada um com seus problemas pessoais).

Desesperado, Howard reluta em participar do grupo de apoio comandado por Madeleine (Naomie Harris), enquanto passa a escrever cartas, não para pessoas, mas para… coisas. Precisamente, três “coisas”: Morte, Amor e Tempo, que se materializam nas figuras interpretadas por Helen MirrenKeira Knightley e Jacob Latimore, respectivamente.

Enquanto Jacob Latimore (Maze Runner: Correr ou Morrer) se esforça como um aluno universitário sem experiência, Kate Winslet parece um tanto constrangida, ao passo que é Helen Mirren quem se sobressai, como uma morte “alegrinha”, o que traz algum matiz para sua personagem.

A trama avança e o espectador é levado, por uma engenhosidade do texto, a desconfiar, o tempo inteiro, se está diante de uma situação “realista” ou não. É um truque (no bom sentido) bem encadeado, que evita que se abandone a cadeira do cinema.

A quem diga que certas questões humanitárias são tratadas de forma rasa. Principalmente por conta da trama, mas há quem duvide. Mas se olharmos ao oculto, só daremos a devida importância, a partir do momento que convier a nossa realidade e perspectiva de vida. Um tanto óbvio, redundante.

17025292-300x200 Análise do filme "Beleza Oculta"

A vida ensina que somente um pai que perdeu um filho sabe a dor advinda disso. Howard, interpretado por Will Smith, conhece essa dor e mesmo após três anos ele continua em luto. No entanto a sua clausura e depressão não fecham seus olhos para a dor e problemas dos outros. É nessa interrelação que se baseia a jornada de restauração contada. E são as conexões de amizade e os conflitos de interesse que transformam as pessoas.

Sem dúvida o roteiro do filme é a grande estrela do drama. Despretencioso, bem amarrado, ele não cai no óbvio e fala daquilo que floresce do coração, quer seja raiva ou riso. As interpretações da constelação de estrelas do filme não precisam ser extraordinárias porque elas trabalham a favor da mensagem de restauração, que é a parte que melhor se conecta com o público.

Todos passamos por problemas e dificuldades. Por vezes, ao vencermos, nos tornamos uma forma de autoridade no assunto. Dessa forma, naquela área, podemos ajudar outros.

Como ser amor ao invés de sentir amor? Exercite o amor. Escolha uma pessoa desconhecida, fora do seu relacionamento e espere o momento em que ela “passar” pela sua vida para amá-la e se importar com ela.

Assim, o filme traz uma conexão boa, associada ao Natal, um makenting americano antigo, que traz o perdão a ser tratado com nobreza.

Estudante de Tecnologia em Processos Químicos, Amante de Cultura Geek e Cinéfila de Carteirinha.

Maísa Costa

Estudante de Tecnologia em Processos Químicos, Amante de Cultura Geek e Cinéfila de Carteirinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *