fbpx

Doação de órgãos, um ato de amor

Na última sexta-feira (22/11) faleceu o apresentador Augusto Liberato, o Gugu, um dos grandes apresentadores da televisão brasileira. Gugu sofreu um acidente doméstico em sua casa nos Estados Unidos e teve morte cerebral. A família atendendo ao desejo do apresentador autorizou a doação dos órgãos. Uma carta aberta ao público foi lida pela família gugu-liberato-300x167 Doação de órgãos, um ato de amordemonstrando a vontade do animador com o seguinte trecho: “Aos meus familiares eu agradeço por terem realizado a minha vontade. Tenham certeza que, a partir de agora, eu estarei batendo em muitos outros corações e compartilhando minha vida com outros irmãos. Que eu seja um instrumento de amor, oportunidade e de luz. Gugu”. Texto retirado do site razões para acreditar.

Segundo informações do site G1, os órgãos de Gugu Liberato beneficiarão 50 pessoas.  Esse gesto de profundo amor ao próximo diante de algo trágico traz a tona uma reflexão: a necessidade de falar sobre doação de órgãos. Doar os órgãos é um ato de amor e nobreza que pode salvar vidas. O transplante de órgãos é realizado através de uma cirurgia que repõe um órgão (coração, fígado, pâncreas, pulmão, rim) ou tecido (medula óssea, ossos, córneas) de uma pessoa doente por outro órgão que esteja em normais condições de um doador, vivo ou falecido.

Em muitos casos o transplante de órgãos pode ser a única chance de vida e recomeço para uma pessoa. Pensar em doação de órgãos é ter a consciência de que um dia você, um parente, amigo possa precisar de um transplante. No Brasil a decisão de doar os órgãos fica a critério da família do doador emgugu-liberato-300x167 Doação de órgãos, um ato de amor caso de morte, mesmo que a vontade do falecido fosse a doação, por isso é importante você repassar para a família o desejo de ser um doador de órgãos em caso de morte.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, a doação de órgãos no Brasil bateu recorde no primeiro semestre deste ano com 1.662 doadores, um aumento de 16% em relação ao ano de 2018, contudo, o índice de recusa das famílias em autorizar os transplantes é elevado, e atinge 43% dos casos.

É extremamente importante ter a consciência de que hoje é um desconhecido, mas futuramente pode ser que uma doação salve sua vida ou de alguém que você ame.

Insistente social, militante de Direitos Humanos, amiga, feminista. Tentando o equilíbrio entre força e sensibilidade, por fora tranquila por dentro ninguém saberá.

Laicia Farias

Insistente social, militante de Direitos Humanos, amiga, feminista. Tentando o equilíbrio entre força e sensibilidade, por fora tranquila por dentro ninguém saberá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *